Joana Amorim Autora

quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Um pedacinho do meu livro para vocês!



Já sou sua

De quem é a voz
Que embala o meu sono,
E ouço pela manhã?
De quem é o sorriso faceiro
Que não se controla quando me vê?
De quem é o brilho nos olhos,
Toda vez que falo de amor?
Será daquele que se alegra,
Apenas quando ouve minha voz?
Quando lhe dou um beijo
Ou quando dou um bom dia.
De quem é essa doçura que também acompanha a rispidez
A falta de tato, mas não por falta de carinho
Nem tão pouco por maldade, mas por ser assim!
Esse jeito romântico e perspicaz, que é o coração
Para quem entreguei o meu amor e não me responde
Queria dizer que já sou sua por direito

O direito de amar.


A alma é a ponte

Entre o amor e o ódio
A paz e o destino
É a coisa mais perfeita e sensível
Que alguém poderia sentir
É o encaixe perfeito para o corpo
Não como uma tampa ou feixe
Mais como a união mais esperada de todos os tempos
A complexidade do que não se pode tocar
E do que se pode sentir
A nuance de esperar o inesperado
De completar o que está imperfeito
Ela é doce como o mel e louca ao mesmo tempo
É o início e o fim de um todo
A junção entre o bem e o mal
É a forma que encontrei
Para encontrar o amor da minha vida
Em todas as minhas vidas e nesta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário